Artrite Reumatóide: Pesquisa Clínica, Participe!

Aqui tem um pouco da minha Vida com AR e muito de mim.

Minha foto

Sou mãe, mulher, amiga...uma pessoa humanizada e determinada a lutar incansavelmente pela igualdade de direitos. Apaixonada pela vida, determinada a ser feliz incondicionalmente!

Blogueira e Mobilizadora Social em Pro da Pessoa com Doença Reumática no Brasil.

Autora do Blog 
www.artritereumatoide.blog.br

Idealizadora do Grupo de Ajuda Mútua "EncontrAR"

Se vc vem do Blog e tem AR ou algum tipo de Doença Reumática faça parte do nosso Grupo no Facebook EncontrAR 
http://www.facebook.com/groups/encontrar/

Colunista  no Portal Reumatoguia 
www.reumatoguia.com.br

Colunista no Portal Artrite Reumatoide 

www.artritereumatoide.com.br

"Existe vida após a AR", tudo que fazíamos antes da AR, podemos fazer agora, só que de uma forma diferente. Enquanto houver alegria em meu coração, força e vontade de viver, a Dor da AR não me levará a tristeza. Acredite, Dor Compartilhada é Dor Diminuída, compartilhe a sua dor e saiba o quanto nos faz bem falar com gente como a gente. Aqui tem um pouco da minha história e muito de mim, deixe um pouco de você através dos comentários.(todos os comentários são respondidos)

A doença chega a nossas vidas derrepente e nos apresenta limitações e dificuldades até então desconhecidas. Passamos a viver uma vida de por quês?. Ansiedades, medos, inseguranças passam a fazer parte de nossos dias. Porém a vida não termina aqui, começa uma nova vida, onde temos que rever nossos conceitos, procurando adaptar toda uma vida, costumes, rotinas diárias e enfrentamos uma sociedade que preconceituosa, ainda rotula as doenças reumáticas como “doença de velho”, o que não é verdade. As doenças reumáticas estão presentes em todas as faixas etárias e por acreditar que Dor Compartilhada é Dor Diminuída, eu criei este blog em agosto/2007.

A missão deste blog é compartilhar experiências, divulgar informações e lutar pela melhoria da “qualidade de vida do doente reumático no Brasil”.

Unidos na missão de dizer ao mundo que somos artríticos sim + que estamos vivos, temos sonhos e acreditamos que um dia a tão sonhada “estabilização da doença” irá chegar e se prepare “mundo” somos pessoas com doenças reumáticas, com necessidades especiais e somos diferentes em nossas características + somos normais, amamos, choramos, podemos ter família, trabalhar, formar carreira, tudo, podemos todas as coisas sempre “respeitando nossos limites”

Faça parte da historia do blog, compartilhe, participe através de comentários ou escreva para o e-mail:

artritereumatoide.ar@gmail.com


Facebook Twitter LinkedIn Blogger Facebook Page YouTube

Contact me: Skype priscilanursing MSN priscilanursing@hotmail.com

Artrite Reumatoide Artrite em Atividade !!

Follow teststamp on Twitter

Twitter

Latest tweet: @lucianaholtz corrigindo, faço minhas suas palavras.. rs

Get this email app!

Faça parte da Comunidade Meu Reumatoguia http://www.meureumatoguia.com.br

http://www.reumatoguia.com.br


PROCURAR

Receba atualizações por e-mail, cadastre-se

Pesquisa Clínica, Participe!

Oportunidade de tratamento com novos e modernos medicamentos



          Pesquisa Clínica é o estudo de novas opções de tratamentos, com a pesquisa clínica é possível conseguir novos tratamento médicos, produtos  capazes de superar aqueles que já temos disponível no mercado, como por exemplo o tratamento com medicamentos biológicos.


Participar de uma pesquisa clínica não é ser “cobaia” como ouvimos falar por ai, é contribuir para o avanço tencnológico, possibilitando assim a introdução de novas oportunidades de tratamentos. Para saber como funciona a pesquisa clínica no Brasil consulte a Sociedade Brasileira de Pesquisa Clinica através deste link 
   
A chegada de novos medicamentos só é possível através da pesquisa clínica, ou seja, nós pessoas com doenças reumáticas, somos importantes para os estudos clínicos e somos o principal beneficiário.
Durante a pesquisa clínica, recebemos todos os medicamentos e assistência médica multidisciplinar gratuitamente. 
Os centros de pesquisa clínica no Brasil, só fazem estudos com medicamentos previamente registrados na Anvisa e além da credibilidade dos centros de pesquisa, temos a resolução n.º 196/1996 do Conselho Nacional de Saúde que determina que o patrocinador de um estudo clínico ofereça a medicação para o voluntário enquanto ele necessitar.
 Seja um paciente voluntário, converse com seu médico  e se inscreva para os estudos clínicos, o atendimento é multidisciplinar, com total humanização e segurança. 
  Para participar de Pesquisa Clínica, entre em contato com um Centro de Pesquisa, após o primeiro contato, é marcado uma consulta médica de triagem, onde a pessoa receberá todas as orientações necessárias, e se após todos os exames e avaliação médica, a pessoa estiver apta e preencher todos os critérios do protocolo, começara a receber a medicação.

Infelizmente não posso ser uma paciente voluntária a pesquisa clínica pois tive hepatite medicamentos e como sempre digo, minha AR é mutante. 
Mas indico e os pacientes voluntários do blog que já estão inseridos em estudos clínicos com novos medicamentos, podem afirmar que participar de pesquisa clinica não é ser cobaia, é contribuir para a evolução da tecnologia medica e principalmente ter acesso a uma medicação inovadora que pode nos trazer a tão sonhada estabilização da doença, e porque não acreditar, que ainda chegaremos a alcançar a cura das doenças auto-imunes.
Mas como principal beneficiário de tudo isso, temos o dever social de ser um paciente voluntário da pesquisa clínica, lembre-se....
Nada por nós, sem nós...
Participe!!!

Aqui em São Paulo, temos 2 importantes Centros de Pesquisa Clínica, ambos apóiam o movimento social deste blog e eu indico, pois conheço a qualidade e segurança de ambos. Apesar de estarem localizados em SP, ambos atendem pacientes de todo o Brasil.
São eles....
·        CEPIC “Centro Paulista de Investigação Clínica”
·        Centro de Pesquisa Clínica “Hospital Abreu Sodré AACD”

Existem protocolos abertos para as seguintes patologias:
  • Artrite Reumatóide 
  • Lúpus Eritematoso Sistêmico


Segue abaixo os contatos da CEPIC
Vinícius Finardi
Coordenador de Estudos
CEPIC - Centro Paulista de Investigação Clínica
Tel.: (11) 2271-3493 /  (11) 2271-3456
vinicius.finardi@cepic.com.br

Compõem a CEPIC o Dr. Cristiano Zerbini e Luiz Carlos Latorre.








O Centro de Pesquisas Clínicas do Hospital Abreu Sodré, ligado àAACD, abriu inscrições para interessados em participar de uma nova pesquisa clínica: um novo tratamento para lúpus sistêmico, doença que afeta as articulações, pele e outros órgãos. Portadores da doença em atividade podem se inscrever contatando o setor de pesquisa clínica pelos telefones (11) 5576-0788 ou (11) 5576-0767.

Hospital Abreu Sodré tem sido o maior pólo de recrutamento de pacientes e pesquisa clínica envolvendo o tratamento de lúpus no Brasil. Os estudos conduzidos pela instituição nos últimos anos apoiaram o desenvolvimento de um novo medicamento para combater a doença. Em março, o produto foi aprovado pelo FDA (agência que regulamenta remédios nos Estados Unidos). Foi a primeira nova droga para tratar de lúpus em 56 anos.

lúpus eritematoso sistêmico é a forma mais comum da doença. Mais do que 85% dos pacientes diagnosticados com a doença vivem mais de dez anos, de acordo com o Instituto Nacional de Saúde, dos Estados Unidos.


        
Depoimento da Ruth, falando da sua experiência com a pesquisa clínica de um medicamento biológico
A Ruth que fez parte de uma pesquisa clínica com medicamento biológico (na época estava em fase de estudos) e hoje já faz parte da lista de medicamentos biológicos Anti TNFs, este comentário esta aqui no blog no tópico Depoimento de Usuários de Biológicos
           Para ver o depoimento original basta clicar neste link: