Artrite Reumatóide: É tudo psicológico!

Aqui tem um pouco da minha Vida com AR e muito de mim.

Minha foto

Sou mãe, mulher, amiga...uma pessoa humanizada e determinada a lutar incansavelmente pela igualdade de direitos. Apaixonada pela vida, determinada a ser feliz incondicionalmente!

Blogueira e Mobilizadora Social em Pro da Pessoa com Doença Reumática no Brasil.

Autora do Blog 
www.artritereumatoide.blog.br

Idealizadora do Grupo de Ajuda Mútua "EncontrAR"

Se vc vem do Blog e tem AR ou algum tipo de Doença Reumática faça parte do nosso Grupo no Facebook EncontrAR 
http://www.facebook.com/groups/encontrar/

Colunista  no Portal Reumatoguia 
www.reumatoguia.com.br

Colunista no Portal Artrite Reumatoide 

www.artritereumatoide.com.br

"Existe vida após a AR", tudo que fazíamos antes da AR, podemos fazer agora, só que de uma forma diferente. Enquanto houver alegria em meu coração, força e vontade de viver, a Dor da AR não me levará a tristeza. Acredite, Dor Compartilhada é Dor Diminuída, compartilhe a sua dor e saiba o quanto nos faz bem falar com gente como a gente. Aqui tem um pouco da minha história e muito de mim, deixe um pouco de você através dos comentários.(todos os comentários são respondidos)

A doença chega a nossas vidas derrepente e nos apresenta limitações e dificuldades até então desconhecidas. Passamos a viver uma vida de por quês?. Ansiedades, medos, inseguranças passam a fazer parte de nossos dias. Porém a vida não termina aqui, começa uma nova vida, onde temos que rever nossos conceitos, procurando adaptar toda uma vida, costumes, rotinas diárias e enfrentamos uma sociedade que preconceituosa, ainda rotula as doenças reumáticas como “doença de velho”, o que não é verdade. As doenças reumáticas estão presentes em todas as faixas etárias e por acreditar que Dor Compartilhada é Dor Diminuída, eu criei este blog em agosto/2007.

A missão deste blog é compartilhar experiências, divulgar informações e lutar pela melhoria da “qualidade de vida do doente reumático no Brasil”.

Unidos na missão de dizer ao mundo que somos artríticos sim + que estamos vivos, temos sonhos e acreditamos que um dia a tão sonhada “estabilização da doença” irá chegar e se prepare “mundo” somos pessoas com doenças reumáticas, com necessidades especiais e somos diferentes em nossas características + somos normais, amamos, choramos, podemos ter família, trabalhar, formar carreira, tudo, podemos todas as coisas sempre “respeitando nossos limites”

Faça parte da historia do blog, compartilhe, participe através de comentários ou escreva para o e-mail:

artritereumatoide.ar@gmail.com


Facebook Twitter LinkedIn Blogger Facebook Page YouTube

Contact me: Skype priscilanursing MSN priscilanursing@hotmail.com

Artrite Reumatoide Artrite em Atividade !!

Follow teststamp on Twitter

Twitter

Latest tweet: @lucianaholtz corrigindo, faço minhas suas palavras.. rs

Get this email app!

Faça parte da Comunidade Meu Reumatoguia http://www.meureumatoguia.com.br

http://www.reumatoguia.com.br


PROCURAR

Receba atualizações por e-mail, cadastre-se

sábado, 4 de junho de 2011

É tudo psicológico!


Apesar da doença é possível ser Feliz Sim !!
Minhas primas Deise e Rose 

 Ontem o Globo Repórter falou sobre a “solidão", apresentou um caso de fibromialgia, e infelizmente passou uma imagem negativa de todos nós brasileiros que temos doenças reumáticas e convivemos com a dor.  
          Mostraram um Grupo de Dor, e uma das componentes do grupo, tem “fibromialgia, uma dor muscular que leva à paralisação, já fez quatro cirurgias pela medula, mas não resolveu nada. Já passou para o outro braço e já está passando para as minhas pernas, conta “Tudo é Psicológico”. Essa dor toda é psicológica, e a gente não consegue tirar da cabeça” .. (parte da entrevista).
          Uma frase consagrada e infelizmente já ouvida não pela boca de uma paciente, mas citadas por médicos que diante de um quadro clínico diferenciado, terminam dando ao paciente a triste e irritante informação de que é “Tudo psicológico”.
           Sempre digo que, diante de evidências clínicas, não existe argumento. Isso é indiscutível.
          Temos que levar em consideração que é fato, que nosso psicológico tem forte influência sobre a nossa dor. É evidente que se vivemos uma situação de stress, logo a seguir, viveremos uma grande situação de dor. É o que chamamos de somatização.
          Somatizar é a manifestação em nosso corpo, através de sintomas, de algum conflito interno (psíquico), se temos uma situação de stress, tristeza, logo, somatizamos e isso vira DOR.
          Na reportagem do Globo Repórter não é a fala da paciente que chama atenção, é a fala da psicóloga, que fala a seguir da pessoa com fibromialgia, que tem também um quadro de síndrome do ninho vazio.  
          A doença, na verdade, é a ausência de vida, é a ausência do auto-amor, do auto-apreço...... aponta a psicóloga Karina Haddad. Leiam texto na íntegra http://migre.me/4J15e
          Tudo bem que a psicóloga se refere a essa pessoa que além de ter fibromialgia, sofre com a síndrome do ninho vazio.
          O que revolta é ouvir em rede nacional que a doença, é a ausência da vida, é a ausência do auto-amor, do auto-apreço, quer dizer que nós pessoas com doenças crônicas degenerativas, temos a doença, por que;
  • Não somos amados?
  • Não temos amor à vida?
  • Não nos valorizamos enquanto pessoa?
  • E somos o culpado e responsável por ter a doença que nos causa dor, dor real, dor que muda a nossa vida, dor que está presente no nosso levantar e deitar.
Inaceitável essa definição, totalmente infeliz e discriminatória, não sofremos porque queremos, não sofremos porque não nos amamos, porque não somos amados e porque não valorizamos a vida.
Sofremos dor, porque temos uma doença que é fato, que existe e que não é psicológica e não somos responsáveis pela doença em nossas vidas.
Somos responsáveis sim, pela aceitação, pela busca de condições dignas de tratamentos, pela esperança de dias melhores e melhor qualidade de vida. Isso é a nossa responsabilidade como pessoa com doença, que sente dor e que pode ser feliz. Porque somos felizes e temos amor próprio e o amor e carinho de toda a nossa família e amigos.

     Essa reportagem merece uma reconsideração.

E para esclarecer a fibromialgia é uma das doenças reumatológicas mais freqüentes, cuja característica principal é a dor musculoesquelética difusa e crônica. 
Fibromialgia Não é uma doença psicológica!!!!
Saibam mais lendo o  artigo da Revista Brasileira de Reumatologia. http://migre.me/4J0ey

Um pouquinho sobre mim
Que saudade do Verão!! 
            Tomei a 5º dose do medicamento biológico, os efeitos colaterais já estão discretos, uma coisa que ficou foi a fadiga, sinto-me fadigada, cansada, como se tivesse feito uma atividade física intensa. Essa semana peguei uma gripe chatinha + estou melhor.
            O medicamento biológico é um verdadeiro alívio, muito bom não ter que tomar vários comprimidos por dia, na 4º e 5º aplicação tive reação no local da aplicação, ficou hiperemiado (vermelho) coçando e quente, + já melhorou.
O paraíso com meu filhotinho
Podia ter verão o ano todo!!


Ainda tenho dor, meu VHS e PCR continuam elevados como sempre + já sinto melhora, a febre que estava tendo praticamente todos os finais de tarde, agora, um dia tenho, outro não, isso é sinal que a AR esta sendo domada. Uma pena que não existe medicamento capaz de curar as conseqüência da doença, meu quadril continua o mesmo, o tornozelo nem se fala + além da AR eles tem cisto, degeneração e seqüelas do corticóide, o bom mesmo seria se pudéssemos tomar esses medicamentos modernos no começo da doença, talvez não desse tempo para as degenerações se instalar + estamos caminhando para a estabilização, essa é a nossa esperança de Dias Melhores.
            E não vamos se deixar influenciar, a nossa dor não é psicológica e nem somos mal amados e culpados pela doença.
            Beijinhos ..