Artrite Reumatóide: Dificuldade para comprar medicamentos

Aqui tem um pouco da minha Vida com AR e muito de mim.

Minha foto

Sou mãe, mulher, amiga...uma pessoa humanizada e determinada a lutar incansavelmente pela igualdade de direitos. Apaixonada pela vida, determinada a ser feliz incondicionalmente!

Blogueira e Mobilizadora Social em Pro da Pessoa com Doença Reumática no Brasil.

Autora do Blog 
www.artritereumatoide.blog.br

Idealizadora do Grupo de Ajuda Mútua "EncontrAR"

Se vc vem do Blog e tem AR ou algum tipo de Doença Reumática faça parte do nosso Grupo no Facebook EncontrAR 
http://www.facebook.com/groups/encontrar/

Colunista  no Portal Reumatoguia 
www.reumatoguia.com.br

Colunista no Portal Artrite Reumatoide 

www.artritereumatoide.com.br

"Existe vida após a AR", tudo que fazíamos antes da AR, podemos fazer agora, só que de uma forma diferente. Enquanto houver alegria em meu coração, força e vontade de viver, a Dor da AR não me levará a tristeza. Acredite, Dor Compartilhada é Dor Diminuída, compartilhe a sua dor e saiba o quanto nos faz bem falar com gente como a gente. Aqui tem um pouco da minha história e muito de mim, deixe um pouco de você através dos comentários.(todos os comentários são respondidos)

A doença chega a nossas vidas derrepente e nos apresenta limitações e dificuldades até então desconhecidas. Passamos a viver uma vida de por quês?. Ansiedades, medos, inseguranças passam a fazer parte de nossos dias. Porém a vida não termina aqui, começa uma nova vida, onde temos que rever nossos conceitos, procurando adaptar toda uma vida, costumes, rotinas diárias e enfrentamos uma sociedade que preconceituosa, ainda rotula as doenças reumáticas como “doença de velho”, o que não é verdade. As doenças reumáticas estão presentes em todas as faixas etárias e por acreditar que Dor Compartilhada é Dor Diminuída, eu criei este blog em agosto/2007.

A missão deste blog é compartilhar experiências, divulgar informações e lutar pela melhoria da “qualidade de vida do doente reumático no Brasil”.

Unidos na missão de dizer ao mundo que somos artríticos sim + que estamos vivos, temos sonhos e acreditamos que um dia a tão sonhada “estabilização da doença” irá chegar e se prepare “mundo” somos pessoas com doenças reumáticas, com necessidades especiais e somos diferentes em nossas características + somos normais, amamos, choramos, podemos ter família, trabalhar, formar carreira, tudo, podemos todas as coisas sempre “respeitando nossos limites”

Faça parte da historia do blog, compartilhe, participe através de comentários ou escreva para o e-mail:

artritereumatoide.ar@gmail.com


Facebook Twitter LinkedIn Blogger Facebook Page YouTube

Contact me: Skype priscilanursing MSN priscilanursing@hotmail.com

Artrite Reumatoide Artrite em Atividade !!

Follow teststamp on Twitter

Twitter

Latest tweet: @lucianaholtz corrigindo, faço minhas suas palavras.. rs

Get this email app!

Faça parte da Comunidade Meu Reumatoguia http://www.meureumatoguia.com.br

http://www.reumatoguia.com.br


PROCURAR

Receba atualizações por e-mail, cadastre-se

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Dificuldade para comprar medicamentos




Quando descobrimos que temos AR, nos deparamos com um mundo novo e cheios de desafios, e um dos nossos grandes desafios é encontrar com facilidade alguns  remédios nas farmácia convencionais (aquela farmácia comum onde compramos o remédio), digo, remédios que podemos pagar e não remédios biológicos.
O tratamento da Artrite Reumatóide, assim como várias doenças é baseado em Protocolos, “Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas”, isso quer dizer que a doença foi exaustivamente estudada e após concluídos os estudos, é escrito os Protocolos de Tratamento, onde nossos médicos reumatologistas irá se basear para instituir nosso tratamento. Uma forma fácil de compreender como isso funciona é;
O tratamento da AR é feito por etapas e essas etapas são criteriosamente respeitadas, nossos médicos se baseiam nesses protocolos, então iniciamos o uso de “DMCD – Drogas Modificadoras do Curso da Doença, seguindo mais ou menos a ordem abaixo;
  • Cloroquina ou Hidroxicloroquina: (anti-malárico) usado para tratamento da AR, buscando a estabilização da doença.
      • Preço na farmácia: Aproximadamente R$ 61,00 (30 comprimidos de 400 mg)
  • Sulfassalazina;
      • Preço na farmácia: Aproximadamente R$ 61,17 (60 comprimidos de 500 mg)
  • Metrothexate: (imunossupressor, conhecido popularmente por ser um quimioterápico, pessoas com alguns tipos de câncer recebem quimioterapia com Metrothexate em doses maiores das que são usadas na AR);
      • Preço na farmácia: Aproximadamente R$ 18,00 (24 comprimidos de 2,5 mg)
  • Azatioprina;
      • Preço na farmácia: Aproximadamente R$ 147,88 (50 comprimidos de 50 mg)
            Esses medicamentos fazem parte da lista de medicamentos para tratamento da AR, que podemos pagar, depois delas vem a Ciclosporina, Levuflonamida, Etanercerpt, Infliximab e Adalimumabe que fazem parte dos medicamentos que nós brasileiros não podemos pagar e o nosso Governo compra essa medicação e fornece gratuitamente através da Assistência Farmacêutica.
Todos os medicamentos que fazem parte do “Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas” para AR, são fornecidos para todo Brasil gratuitamente, e são chamados de “Medicamentos de Componente Especializados”, para que possamos ter acesso a essas medicações, nossos médicos preenche um formulário chamado “LME – Laudo de medicamentos excepcionais ou especializados” e junto uma série de documentos, damos entrada na farmácia de alto custo e aguardamos o recebimento da primeira dose que leva em torno  40 dias para ser liberada.
Essa espera de 40 dias para liberação da medicação, faz com que a maioria de nós, deixe de dar entrada, pois o Metrothexate,  custa apenas R$ 18,00 reais uma caixa com 24 comprimidos e durante um mês a maioria de nós utilizamos no máximo caixas/mês.
Por isso, terminamos comprando Metrothexate nas farmácias, e é ai que começa as nossas dificuldades, sendo elas:
o        Indisponibilidade nas farmácias: as farmácias informam que a medicação esta em falta, o laboratório não entrega, temos que fazer o pedido e esperar. “Esperar, quando temos dor e uma doença crônica em atividade” é inaceitável, temos o dinheiro e não conseguirmos comprar a medicação porque o laboratório deixou de entregar ou atrasou a entrega. Em 2008 houve uma falta de MTX em todo o Brasil eu mesma, cheguei a ficar 01 mês sem tomar MTX porque não conseguia comprar nas farmácias convencionais e as amostras grátis da minha reumatologista havia acabado, quando consegui encontrar, comprei 09 caixas de uma vez, lembro que o farmacêutico disse assim “ a Senhora não pode comprar todas as caixas, 9 caixas é tudo que recebi do laboratório” ai disse pra ele, eu compraria até 20 caixas se tivesse.
o        Metrothexate Injetável: muitas pessoas que seguem o blog, comentam sobre  a dificuldade em comprar MTX ampolas, as farmácias informam que é medicação de uso hospitalar e restrito, impossibilitando a compra, sobrando somente o recurso de dar entrada na LME e esperar 40 dias para receber a primeira dose.
Bem, onde quero chegar com este post....
            Estou contribuindo para uma reportagem de uma importante rede de TV, sobre a “dificuldade de acesso aos medicamentos para o tratamento da AR”.
Como blogueira, como paciente eu não deveria recusar auxiliar esta reportagem, então, venho aqui no blog, pedir a ajuda de todos vocês para divulgarmos em rede nacional e internacional a dificuldade que temos para comprar medicamentos, mesmo tendo o dinheiro, ficamos pelejando de farmácia em farmácia atrás de quem tem Metrothexate para vender.
            Enfatizo que está disponível em todo o Brasil através da Assistência Farmacêutica Metrothexate comprimidos e Metrothexate injetável, mas sabemos também que existe períodos que falta essas medicações de baixo custo financeiro, até mesmo nas farmácias de alto custo em cada cantinho do nosso Brasil.
            Através do Blog, eu recebo inúmeros pedidos de ajuda relacionado a compra de MTX, e sempre que a pessoa tem dificuldade para comprar onde ela mora, eu peço que envie por e-mail a receita e compro o MTX aqui em SP e envio via sedex para outros estados ou até mesmo em SP/interior e Grande SP. É uma forma de ajudar, pois não temos condições de esperar o laboratório entregar o MTX.
           
Você teve ou tem dificuldade para comprar medicamento para tratamento da AR, prescrito pelo seu médico? (dificuldade por não ter na farmácia para vender, não dificuldade por não ter o dinheiro, pois se fosse por dinheiro eu já estaria gritando,ta difícil sim).

Você usa Metrothexate ou já usou?
         Tem dificuldade para comprar nas farmácias?
           
Podem responder aqui pelo blog, através de comentários, mas gostaria de pedir que envie por e-mail, um telefone para contato.
Mais uma vez, agradeço a colaboração e apoio de todos vocês, afinal  nós somos beneficiados por este tipo de reportagem, vamos viabilizar o acesso aos medicamentos em todos os lugares, desde os grandes centros até lá na casinha do chapéu.
Ah! hoje o Arthur vai nascer de verdade..Super beijo e confesso está muito, muito difícil ser mais forte que a dor da minha AR em atividade, hoje fui na minha Dentista que é especializada em Buço-Maxilo e tirei molde para fazer placa de proteção para dormir, pois a minha AR esta tão brava que estou com dor nas Articulações da Face (ATM – articulação tempero-mandibular), pensei que estava ficando doida, nunca senti dor na ATM e até meu ouvido foi atingido, abro e fecho a boca e faz crec, crec, depois meu ouvido fica tipo quando esta subindo a serra... em breve postarei sobre a placa para ATM.


Lembrando...
            A última revisão do “Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas” para Artrite Reumatóide,aconteceu em 2006, desde então novos medicamentos estão disponíveis no Brasil e não fazem parte do protocolo de tratamento da AR, aproveito o post, para lembrar que necessitamos da atualização deste protocolo, para a inclusão dos novos medicamentos biológicos que hoje são conseguidos através de “Medida Cautelar” gerando gastos desnecessários com advogados, sendo que seria muito mais fácil atualizar esses protocolos.


Referências:
Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas:
Lista de medicamentos de componente especializado: