Artrite Reumatóide: Etanercepete 50 mg

Aqui tem um pouco da minha Vida com AR e muito de mim.

Minha foto

Sou mãe, mulher, amiga...uma pessoa humanizada e determinada a lutar incansavelmente pela igualdade de direitos. Apaixonada pela vida, determinada a ser feliz incondicionalmente!

Blogueira e Mobilizadora Social em Pro da Pessoa com Doença Reumática no Brasil.

Autora do Blog 
www.artritereumatoide.blog.br

Idealizadora do Grupo de Ajuda Mútua "EncontrAR"

Se vc vem do Blog e tem AR ou algum tipo de Doença Reumática faça parte do nosso Grupo no Facebook EncontrAR 
http://www.facebook.com/groups/encontrar/

Colunista  no Portal Reumatoguia 
www.reumatoguia.com.br

Colunista no Portal Artrite Reumatoide 

www.artritereumatoide.com.br

"Existe vida após a AR", tudo que fazíamos antes da AR, podemos fazer agora, só que de uma forma diferente. Enquanto houver alegria em meu coração, força e vontade de viver, a Dor da AR não me levará a tristeza. Acredite, Dor Compartilhada é Dor Diminuída, compartilhe a sua dor e saiba o quanto nos faz bem falar com gente como a gente. Aqui tem um pouco da minha história e muito de mim, deixe um pouco de você através dos comentários.(todos os comentários são respondidos)

A doença chega a nossas vidas derrepente e nos apresenta limitações e dificuldades até então desconhecidas. Passamos a viver uma vida de por quês?. Ansiedades, medos, inseguranças passam a fazer parte de nossos dias. Porém a vida não termina aqui, começa uma nova vida, onde temos que rever nossos conceitos, procurando adaptar toda uma vida, costumes, rotinas diárias e enfrentamos uma sociedade que preconceituosa, ainda rotula as doenças reumáticas como “doença de velho”, o que não é verdade. As doenças reumáticas estão presentes em todas as faixas etárias e por acreditar que Dor Compartilhada é Dor Diminuída, eu criei este blog em agosto/2007.

A missão deste blog é compartilhar experiências, divulgar informações e lutar pela melhoria da “qualidade de vida do doente reumático no Brasil”.

Unidos na missão de dizer ao mundo que somos artríticos sim + que estamos vivos, temos sonhos e acreditamos que um dia a tão sonhada “estabilização da doença” irá chegar e se prepare “mundo” somos pessoas com doenças reumáticas, com necessidades especiais e somos diferentes em nossas características + somos normais, amamos, choramos, podemos ter família, trabalhar, formar carreira, tudo, podemos todas as coisas sempre “respeitando nossos limites”

Faça parte da historia do blog, compartilhe, participe através de comentários ou escreva para o e-mail:

artritereumatoide.ar@gmail.com


Facebook Twitter LinkedIn Blogger Facebook Page YouTube

Contact me: Skype priscilanursing MSN priscilanursing@hotmail.com

Artrite Reumatoide Artrite em Atividade !!

Follow teststamp on Twitter

Twitter

Latest tweet: @lucianaholtz corrigindo, faço minhas suas palavras.. rs

Get this email app!

Faça parte da Comunidade Meu Reumatoguia http://www.meureumatoguia.com.br

http://www.reumatoguia.com.br


PROCURAR

Receba atualizações por e-mail, cadastre-se

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Etanercepete 50 mg


Onde estão as 199.732 unidades de Etanercepete 50 mg que o Ministério da Saúde comprou em Janeiro/2011?

Em Janeiro de 2011 o Ministério da Saúde comprou 341.304 unidades do medicamento Etanercepte 25 mg e 199.732 de Etanercepete 50 mg.
Porém, enquanto pacientes e usuários de medicamentos biológicos sabemos que acontece uma grande falha na distribuição do medicamento Etanercepete 50 mg. A farmácia de alto custo, quando questionada, tem sempre uma respostas clássicas que tiram da Assistência Farmacêutica essa responsabilidade e sempre e com muita freqüência, ouvimos “o laboratório não entregou”, “a medicação não chegou”, a Secretaria Estadual de Saúde vai comprar, enfim..
Temos aqui no blog alguns casos de pessoas que tem precrição médica de Etanercepete 50 mg e recebem na farmácia de alto custo, Etanercepete de 25 mg, ou seja, em vez de receberem uma caixa com 4 doses de 50 mg, tem pacientes recebendo apenas 1 caixa de 25 mg com 4 doses, ou seja, 01 caixa de 25 mg é suficiente para 2 semanas de medicação, ficando os outros 15 dias sem medicação, ou indo e vindo da farmácia “esperando o laboratório entregar”, porque é isso que dizem pra gente quando chegamos e não tem a dose de 50 mg.
A Gabriela, 33 anos, tem AIJ há 17 anos, ela morava em Santa Catarina até Setembro de 2010, onde recebia o Etanercepete 50 mg sem falhas e faltas, porém, ela está morando em São Paulo a exatamente 1 ano, e desde então, vive um verdadeiro drama do “Enbrel”, pois, utiliza esse importante medicamento biológico há aproximadamente 3 anos, e quando recebia a dose correta (50 mg), a sua AIJ estava sob controle, porém, aqui em SP, vive um drama na Farmácia de Alto Custo de Franco da Rocha a prescrição médica é;
·        Etanercepete 50 mg – 01 injeção por semana
o       Ela tem recebido da Farmácia de Alto Custo de Franco da Rocha
§        Etanercepete 25 mg – 01 caixa com 4 doses de 25mg

Ou seja, apenas metade da dose prescrita, e toda vez que pega 01 caixa de 25 mg com 4 doses, é orientada a ligar depois de 15 dias para ver se “tem + 1 caixa de 25 mg”, porém, com muita freqüência, não tem essa segunda caixa e ela fica sem remédios durante 15 dias no mês. Como isso é recorrente, a Gabriela, quando recebe apenas 01 caixa de 25 com 4 doses, opta por tomar apenas 1 injeção de 25mg por semana, pois não sabe se vai ter outra caixa para tomar nas semanas seguinte. É como comer no dia de hoje, sem saber se vamos ter o que comer no dia amanhã.  
            Agora por conta de toda essa problemática de acesso ao medicamento, a sua médica optou por trocar o medicamento biológico, más, vai trocar não porque o medicamento Etanercepete deixou de fazer efeito, ou perdeu a sua eficácia no controle da doença, mas porque, por falha na terapêutica (dose menor do que a prescrita), a medicação não faz efeito. Isso é algo muito grave. Pois prova o que nós pacientes já sabemos, muitas vezes não é o remédio que é ineficaz é o sistema de saúde que é deficiente e injusto.
            Hoje a Gabriela, pensa em voltar a morar em Santa Catarina, pois jamais imaginou que em São Paulo ela teria essa gigante dificuldade em receber a dose prescrita da medicação que por quase 3 anos, lhe proporcionou melhor qualidade de vida e a remissão da doença, pois ficou claro que a AIJ voltou com força total, trazendo dores e sofrimento, não porque o Etanercepete deixou de fazer efeito, mas porque ela não recebeu a dose prescrita e orientada por sua médica.

            Agora me pergunto, onde foram parar os Etanercepete de 50 mg?
Ouçam a conversa da Gabriela por telefone
            A Defensoria Publica de São Paulo, mais uma vez esta nos ajudando, este caso foi encaminhado para a Dra Renata Flores Tibyriça (Defensora Publica do Estado – coordenadora da Unidade da Fazenda Publica).

A dor + degeneração + deformidades da AR não sabem esperar, não podem esperar e até que o socorro venha, a deformidade chega e fica. Dói saber de coisas como essas.